sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Entrevista- Caroline Pizzine/ talibã


Três dias de entrevista com essa moça povo!
Infelizmente (ou felizmente) não terei como colocar tudo e nem as sensações, os risos, enfim...
Foram três dias de entrevista fantásticos! Descobri uma Caroline que eu nem imaginava... E a Jé Tchu super foi a entrevistadora convidada para me ajudar, e que ajuda! Eu passava mal...
Então aí vai gente! Espero que gostem do trabalho (por que da Carol quem não gostar é por que tem algum problema digologo)
PERFIL DO ORKUT

[preparações e talz]
Nina:Carol, seu nome todo mundo já sabe mas me diga, quantos anos vc tem?
Caroline : 22, a idade do maluco!
N:quando você era mais nova vc pensava na Caroline adulta (22 anos)?
Caroline:Não, eu fui idiota até bem velha assim. Eu era bem bocó, coisa de atleta e tal. Só fui curtir depois que me aposentei.
Jéssica: Bocó como, caseira e bibibibi? [precisei colocar o bibibi da Tchu]
Caroline: Bocó! Primeiro porque era feia [super mentira dela], e outra porque a gente nao podia fazer nada, treinava de manhã antes de ir pra escola, e de tarde quando voltava. E fim de semana treinava até de tarde, então não dava pra fazer nem pensar em muita coisa. e os meus amigos eram bocózoes também.
J: E qual esporte praticava?
Caroline: Natação!
N: Desde quando treina natação? Você que quis desde sempre?
Caroline: Desde os 7, nadei no fluminense, no vasco e na seleção! Parei com 17 por conta de um bursite no ombro esquerdo... Sempre, me amarrava, era legal!... Eu tive muito de infância por conta da natação! brinquei até, sei lá, uns 15 anos.
J: Você acha que por estar aproveitando mais agora foi 'melhor assim'?
Caroline: Ahhhh, a gente nunca sabe. Mas as coisas são do jeito que tem que ser. sou feliz assim, como era feliz na época que nadava. As coisas vão acontecendo e a gente vai aceitando, sabe, cada dia é diferente! A gente cresce, amadurece. A vida muda, os interesses mudam...
N: Como a gente cresce e amadurece eu vou perguntar uma coisa, sua infância foi longa, mas e assim... Quando começou a sua adolescência, gatinhos e talz?
Caroline: Ih, lá pelos 16, antes eu já dava uns beijinhos, mas nada demais. Só fui dar com 18 anos. Aí depois desembestei também né?
[risos]
J:E foi pra namorado?
Caroline:Não!
N: O primeiro não?
Caroline:Foi pra um desconhecido, no carnaval, e era meu aniversário! Mas foi melhor assim, pelo menos nao tive que fingir pra ele que tava gostando.
J:Toda vez que você comemora seu anivesario, você comemora também o fim da sua virgindade! Que belezinha!
Caroline:Também, sempre trepo no dia do meu aniversário!
N: Dia de aniversário e signo? (só para os leitores fanáticos com signos)
Caroline: 25 de fevereiro, Peixes com ascendente em áries!
J:E você se liga muito nessas coisas?
Caroline: Não. Na verdade porque eu não me pareço em quase nada com o meu signo, mas uma vez fiz um mapa astral desses grátis online e foi tipo uma porrada na cara. Porque era muito parecido, e realmente, meu ascendente me guia praticamente. É claro e obviamente que meu lado peixes existe sim. Sou mala, carente e chorona, mas nem mostro pra todo mundo.
N: Esse não mostro pra todo mundo é o ascendente gritando! [ariana falando]
N: Profissão?
Caroline: Sou professora, de criança pequena!
N: Você decidiu quando ser professora?
Caroline: Quando meu pai ficou desempregado e a gente ficou sem grana, tinha que ajudar, sabe? Eu tinha 15 anos.
J: Vocês são em quantos em casa?
Caroline: 3. Pai, mãe e eu, e na rua da frente mora minha dinda, meu tio e minhas prirmâs, vivemos em comboio!
N: E agora que vai casar vai morar distante como acha que vai ser?
Caroline: Vai ser diferente, mas não muita coisa, às sextas vou vir dormir aqui, porque é dia de centro!
N: Você é filha de quem?
Caroline: Oxum e Oxossi, já fui chamada de tudo na comuniade, inclusive de serva de satã, então, caguei um quilo! Ah cara, criaram um fake, falaram horrores! Falaram que a Nicolle era minha filha e que ela era "doente" porque eu era macumbeira e tal, e que eu era uma piranha, blá blá blá, eu fiquei MUITO chateada, mas muito mesmo, quase saí do orkut por conta disso, mexer comigo, me chamar de piranha e talz eu juro que nem ligo, mas ela nao tinha nada com isso, sabe?! Mas enfim. Que morra!
N: A Nicolle é filha de quem? Já que estamos falando dela, e que quem vê seu orkut super se delicia com as fotos dela!
Caroline: Da minha madrinha, que é irmã da minha mãe. Que é minha segunda mãe, ela é minha prima!
N: Você é carioca mesmo?
Caroline: Sou, nasci no méier! (suburbana desde sempre)
J: E você trocaria o rio pra morar em algum outro lugar?
Caroline: Salvador! Morei lá 2 meses quando trabalhei no zoo, e me apaixonei completamente! Foi um encontro, me encontrei, Caroline, em Salvador! Me senti, mais do que em qualquer outro lugar, em casa!
N: Te vejo tão carioca engraçado! Sabe carioca malandro?
Caroline:[risos] Sou bem menos malandra do que pareço, já fui mais, quando era solteira, a monogamia muda a gente...
J: Em outras férias nunca mais viu o teu desvirginador?
Caroline: Não, nunca mais!
N: Você quer ter filhos?
Caroline: Sim, um dos meus sonhos é ter a minha família!
N: E como surgiu pra você a Amélie Poulain?
Caroline: Entããããããão! Eu vi o filme logo que estreiou, adorei!
E a primeira coisa que pensei. Nossa... que voyer filhadaputa, cheia das maledicências! Aí entrei na comunidade, e um dia, resolvi participar, no fim de 2007! E nossa... fiz grande amigos lá! Mas obviamente, muita gente me detesta, ah, claro, fui expulsa!
[risos]
N: Foi? Por que?
Caroline: Mas depois me aceitaram de volta! Por um tópico que foi aberto, para perguntar qual era o problema na PAP e tal, aí, eu bocuda, falei horrores... Que apagavam as minhas postagens, que eu não podia falar "Pênis" que não era amelístico, mas tudo na minha delicadeza de sempre... No fim das contas... eu fui expulsa! Por recriminar a ameliciedade. Porque o filme tem um contexto pra cada um, infelizmente, ou felizmente, sei lá. A minha concepção do filme é diferente da maioria.
N: Qual é a sua concepção?
Caroline: Que a Amelie é voyer, má e um tanto quanto egoísta. O cara é meio babaca, eu nunca sairia com ele. Eu gosto do contexto do filme. Achei legal, bem bolado. Ela doente mental, fazendo as coisas pra se satisfazer com a desculpa que é pros outros.
N: Concordo!
Caroline: Muita gente ali faz tipo, e é um tipo escroto! "Ai, eu sou linda, a vida é linda, a bahia é linda, caetano é lindo!" Ah pro caralho né?
N: E isso é o que mais te irrita na comunidade?
Caroline: Na verdade nada me irrita mais do que citarem meu santo nome em vão. Tipo quando o B. fez, ou quando o fake fez, tudo bem que o B. nao falou meu nome, mas foi suficientemente escroto falando do meu post anterior... Às vezes eu tô quietinha, numa fase tranquila, aí vem um imbecil e cutuca a onça com vara curta, aí eu mando tomar no cú, se fuder. blá blá blá... E eu que sou má!
Eu podia muito bem ser jujubete achar tudo lindo! e quando menos esperar, dar uma porrada na cara de um amigo "delicadamente"... Mas eu não sou assim oras. O que é bonito é bonito e o que é feio é feio e não adianta usar meias palavras.
N: Você acha que de alguma forma a PAP influenciou em coisas na sua vida?
Caroline: Claro! A gente sempre acorda já conectando pra saber os babados do dia anterior, fora que assim, eu fiz amigos pra vida toda lá! Edu, Jana, Fer, Ni, Ana Cravo, Marianna, Estellinha, Manu... São pessoas sensacionais! E que eu fico muito grata por terem aparecido na minha vida!
[pausa do 1° dia]

[Ai quem acompanha a comunidade viu aquele fake idiota na terça-feira 22/09]
N: Então Caroline, como aconteceram babados fortíssimos eu gostaria que me falasse um pouco sobre os Talibãs...
Caroline: Então, vamos lá. Os talibãs surgiram em um pós almoço aqui na minha residência, por conta do tópico Namoro Temporário e nossas discussões com algumas pessoas, aí ficamos obviamente vistos como os encrenqueiros da PAP (que nao deixamos de ser)
N: Quem são os Talibãs?
Caroline: Atualmente são: Eu, Edu, Jana, Burack, Ana Cravo, e André Pooh. Os últimos dois sumidos por motivos pessoais. Mas isso foi se perdendo. Nosso tópico ficou de lado, por nós mesmos. Temos nossas implicâncias, cada um com a sua. E todos pelos outros. Aí criamos um tópico onde a gente falava sacanagem, mal dos outros, essas coisas, e tinha uns encostos que se manifestavam de vez em quando
J: Tipo, falavam abertamente.
Caroline: é
[entramos num assunto de bolinhas que esquentam e esfriam]
Caroline: O diametro é menor do que o de um pinto né Nina
N: O que falou das tais bolinhas? [no tópico dos Talibãs]
Caroline: Falei que era maneiro, mas era foda, que depois ficava vazando colorido, espirrava e saia um negócio colorido de dentro de você, o povo quase morreu de vergonha, como se nuuuuuuuunca tivessem trepado na vida!
N: Ah... Então os Talibãs são os Deuses da discórdia amelistica?
Caroline: Nem sempre, muitas vezes estamos quietos e o povo vem mexer conosco, porque somos meio Marcia Goldschimit
J: Ou os talibãs eram aqueles que não ligavam pro que a galera achava?
Caroline: Também tem isso! É aquela coisa, eu dou gente, gosto de trepar, qual o problema em falar sobre isso?
(Eu nunca transei com meninas antes que perguntem. Nem nunca fiz suruba!)
J: Então, se o bofe traz uma amiga... e bibibibi... Você não ia se ofender?
Caroline: Assim, nao sei se rola sangue frio o suficiente pra ver o bofe comer outra!
N: Mas você comeria?
Caroline: Eu nunca pensei nisso, mas acho que não, sabe? É foda, tenho uns medos assim, de tipo, depois de casada ficar me vetindo de empregadinha com espanador no cu, sabe? [eu não entendi] Sei lá, minha intimidade com ele é uma coisa que eu prezo muito. Não sei se dividiria isso com alguém... Eu pareço piranha mas sou fiel, gente!
J: Aproveitando, sexo no relacionamento... representa QUANTO pra você?
Caroline: No início do namoro era assim... 99%. Hoje uns 50%... A gente vai substituindo aquele tesão incontrolável por outras coisas né? Amor, carinho, cumplicidade, mas assim... Mas de uma semana sem... Não da cara...
J: E, desde o começo... Vocês tem um papo aberto sobre sexo?
Caroline: Mais ou menos, hoje conversamos bastante, mas no início era difícil, por conta de experiencias anteriores dele... Eu já era assim! Namorei um broxa antes dele, foi barra, terminamos por causa disso...
J: E rolou aquele pensamento: 'a culpa é minha'?
Caroline: Não! ...Aí antes do broxa, namorei um advogado com o maior pau do mundo, mas nao era bom, e ele parecia o mestre yoda, só nao era verde, e antes dele namorei um cara que descobri depois que era gogo boy, mas ele era gato! Só que tinha muitos complexos pq eu era novinha...
J:Tia carol, namorar ou ficar?
Caroline: Namorar! Quando eu não namorava, usava o PA... [pau amigo, pra quem não sabe (eu aprendi no chat)]
N: Que lugares diferentes você já teve relações sexuais?
Caroline: Hum, na praia [ela não gostou], no carro, em um drive in, umas coisinhas básicas na Av. Brasil voltando pra casa, ah gente, no banheiro, na cozinha, na sala...
N: No geral, fale de coisas que te agradam!
Caroline: Hum... Difícil! Muuuuitas coisas me agradam:
Um telefonema, um beijinho no pescoço, acordar e ver ue posso dormir mais um pouquinho, festa, música sem noção, samba, original com aipim frito, meus amigos, o respectivo, minha família!
[rolou um comentário sobre a cerveja, e coisas em off... Na sequência...]
Caroline: Eu resolvi viver aos 17 quase 18! Tomei uns porrezinhos por aí, vomitei nos coleguinhas, mas a gente aprende... Mas ainda me perco na Amarula, o respectivo que gosta, porque eu fico como, né? (na garupa do bozo)
[Alguém comentou que cú de bêbado não tem dono e a Carol disse que o dela tem!]
J:Falando no dito, você é adepta da prática? [nem quero comentar a prática, mas acho que esta claro né?]
Caroline:Sou! Não era não, mas depois, fui gostando, apreciando...
N:Não dói muito?
Caroline:Não, fiz um curso de massagem tantrica, então... Não sou a maga do kama sutra... Mas aprendi várias coisas que são legais, que fizeram bem pra nossa vida sexual!
[como eu sou tímida eu devo ter falado de alguma coisa pessoal e ela respondeu...]
Caroline: Ah Nina. Sei lá... Nunca tive vergonha de mim, aí me ajuda a nao ter vergonha dos outros...
[eu fiquei com vergonha e super desconversei...]
N:Que filmes você gosta?
Caroline: Desenhos, infantis, musicais, comédias, romances, qualquer um com derramamento de sangue, mas tem que ser muito, tipo Jogos Mortais!
N:E livros? ou autores mesmo?
Caroline: Garcia Marques, Quintana, Cora Coralina, Augusto Cony, mas a minha preferida, ainda é a Virgínia Wolf, é que assim, eu simplesmente leio tudo, até bula de remédio, tem livros que eu acabo e falo: Caralho, que livro bom. Mas tem outros que eu acabo e não faz a menor diferença...
N: Ex? [eu havia perguntado um exemplo, mas ela entendeu ex-namorado hehe]
Caroline: Legais, ainda falo com eles...
J: E o digníssimo, nao tem ciume?
Caroline: Tem do yoda, do gogoboy e do broxa não tem não, mas morre por conta do PA
J:E traição? o que você pensa sobre?
Caroline: Complexo... Assim, traição pra mim é ter outra família, trepar com outra pessoa pode acontecer, traição é a mentira esticada, sabe? (Assim, nao quero saber se ele trepar com alguém. Mas também sei que isso pode acontecer, afinal todos temos necessidades fisiológicas...)
J: Você acha que a carne é fraca?
Caroline: A carne é fraca! A minha é, a de todo mundo é, mas acontece que quando resolvemos impor uma monogamia a nós mesmos estamos contrariando nosso instinto, é aí que acontecem nossas puladas de cerca...
N:Você acha que é uma coisa do carioca ser despojado assim?
Caroline: É sim, mais malandro, porque é mais sociável que o paulista, é aquela coisa de conversar na fila da padaria. [ui]
N:Você acha que existe essa rixa de carioca e paulista?
Caroline: Existe, eu tenho, eu gosto de alguns paulistas, mas nao gosto de como a grande maioria se porta, essa coisa de ter que andar arrumado, de nao conversar com as pessoas, da grosseria que é no metro... [ui]
N:Você odiaria os curitibanos então? [por que mesmo eu fiz essa pergunta?]
Caroline: Odeio, juro! (desculpaê Nina)
[Tudo bem, eu sou só uma paulista-curitibana]
Caroline: Mas eu converso com todo mundo no meio da rua
N:Eu também! [hunf]
Caroline: Bom dia, boa tarde, boa noite, tudo bem com você?!
O rio é meu lar!
[dessa vez a Jé Tchu desconversou... (não gente, não teve climão)]
J:Futebol tia Carol! Tem algum time do coração?
Caroline: Não sei nem o que é escanteio!
N:O que vc acha dos compositores cariocas?
Caroline: Morro no Diogo Nogueira [risos, que eu nem entendi],dava fácil, mas assim, eu gosto dos compositores cariocas, gosto do swingue que só os cariocas tem, tipo Beth Carvalho, fundo de quintal, Arlindo Cruz, Martinho da vila, é dificil encontrar isso em outro lugares... Apesar de eu ainda gostar de sertanejo... Sim, eu gosto! Eu sou bem esquisita musicalmente...
[aí vieram as partes das revelações de todo mundo em off]
J: Lua de mel, vai pra onde?
Caroline: Tailândia, eu acho! Ou Quênia! Ainda não decidimos, na verdade...
Meu sonho era que o Sergio Mallandro cantasse no meu casamento, mas ele é caro... Não tem serginho nem Magal, aí tem eu, pronto!
[pausa do 2° dia]
[burburinhos pré entrevista e talz]
N:Por que ser tão linda?
Caroline: Mamãe passou açúcar em mim!
N e J: Diz aí uma música da sua infância e uma que te defina?
Caroline:Hum, tema da minha infancia?!
Lindo Balão Azul, e música que me define? Nao tem uma específica, sou de momentos.
Mas adoro quando a Teresa Cristina canta: "Eu sou assim, quem quiser gostar de mim, eu sou assim..."
N e J: Considerações finais!
Caroline: Foi sensacional dar a entrevista pra vocês. Um dia espero encontrar vocês duas em um boteco para brindarmos com cerveja e enchermos a pança de aipim frito!
N: Fala alguma coisa pro povo que vai te ler!
Caroline: that's all folks
(entra o presuntinho)
Ah... Nada mais justo do que falar... paunocudetodomundo!
N: Eu to te lendo nem quero isso...
Caroline: AINDA minha cara, AINDA.
[risos maléficos]
Caroline: insones.com
N: Vamos te entrevistar de novooo
Caroline: Ano que vem! Mas aí eu serei pop... Vou dizer que nao falo da minha vida pessoal
"...garota eu vou pra californiaaaaaaaaaaaa
viver a vida sobre as ondas
vou ser artista de cineeeeema
o meu destino é ser staaaaaaaaaar..."



É isso aí galera...

15 comentários:

Rodrigo da Silva disse...

É por essas e outras que eu tenho orgulho dessa comunidade. A entrevista ficou melhor que qualquer outra das Amerelinhas da Veja! O trabalho ficou muito bom. Nina e Jéssica, parabéns pelas perguntas, Carol, parabéns pelas respostas! :)

disse...

FOI UM SUUUUUUPER MEGA PRAZER ENTREVISTAR ESSA FOFA. GENTE FOFA... É GENTE FOFA. E EU DIRIA MAIS... CAROL TEM MTO DE 'GENTE FOFA', MAS MUITO MAIS DE 'GENTE FODA' [desculpapalavrão]!!!

é isso aí pessoal.
ENJOY tia carol talibã.

Nina Flor disse...

Ai nem estou em condições de comentar...
Digo uma coisa foi do c...
ain ^^

Arthur disse...

Foi reveladora, polêmica e divertida.
A Carol arrasa! Adoro quem não tem papas na língua.

Ps: Ela esqueceu de comentar q me ama (:

Ni disse...

hahaha ri mto , demais foguinhoo meu , amo tu!

Edu Poulain disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcia Mello disse...

Carol, me dá um autógrafo?

Edu Poulain disse...

A entrevist esta otima gente! adorei horrores!
essa Carol, viu.

Meia Lua disse...

Carolinda só arrasa sempre. Cansa dessa vida não?


Amei mesmo!


Leitura gostosa.

Pena que teve fim...

OTNI disse...

Tb esqueceu de dizer que me ama!
...mas sinto uma paixão implícita no carinho que ela tem por mim!
Adorei a entrevista!

Quem não gosta de Carol bom sujeito não é! É ruim da cabeça e doente do pé! =)

Edu Poulain disse...

adorei o /talibã

Ni disse...

Amo mto.

Estação Ana Cravo do Metrô - O Blog disse...

Caralho...AMO ESSA MULHER!!!!!!

Saí da comunidade pela sacanagem que fizeram com ela..
Como ela disse e fico honrada, retribuo..Uma amiga que carrego pra sempre.

Viva o POVO TALIBÃ!
OsAna Cravo

DiRenan disse...

"Eu podia muito bem ser jujubete achar tudo lindo! e quando menos esperar, dar uma porrada na cara de um amigo "delicadamente"... Mas eu não sou assim oras. O que é bonito é bonito e o que é feio é feio e não adianta usar meias palavras."
Amei!

Falou muita coisa que eu diria!
Tirando as partes que atribuidas a mim seriam tidas como homosessuais.
E para complementar os *'s foi do CARALHO!

Contando os dias... disse...

Eu nem sou da PAP, mas curti a entrevista... ela é das minhas rss