sábado, 3 de outubro de 2009

Partir, andar...




-Ei, moço! Você aí, na fila do ônibus! Não vai embora agora... Olha pra mim, olha! Deixe-me ver se realmente é você que tem o olhar mais doce do mundo, que me faz derreter. Sim, é você. Não quero dizer seu nome, quero que você pareça um desconhecido e quero que agora seja como se fosse nosso primeiro contato. Talvez se começarmos do zero você possa me olhar de um modo diferente. Deixa eu lhe pagar um jantar, deixa eu me apresentar, deixa eu te fazer rir das minhas piadas de humor negro e do meu cotidiano entediante. Espera, espera mais um pouco. Vamos nos conhecer. Me deixa re-descobrir qual música dos Beatles é a sua favorita, me deixa pagar um vinho caro e você fazer cara de 'eca' quando experimentar, deixa eu te dizer coisas bonitas no ouvido. Eu te deixo tocar meus pontos fracos, te deixo brigar com meu cachorro que não sabe deixar nenhuma visita em paz, eu deixo você comer todos os pêssegos em calda da geladeira. Eu aceito seu convite pra assistir 'Duro de Matar' um, dois, cinco... Aceito sorrindo. Eu quero re-descobrir qual é o perfume que te causa alergia. Não vai ainda, não. Me deixa te conhecer... Deixa eu te fazer meu, deixa eu descobrir que te amo e que não quero que você parta nunca... Deixa eu rir da sua foto na carteira de motorista. Deixa eu ouvir sua voz dizendo "o prazer é meu, mocinha." Vamos fazer de hoje o início... vamos? Por favor, não sobe aí, não. Não entra nesse ônibus. Você não me ouve? Por favor... Não! Motorista, não deixa que ele vá... Não hoje, não agora! Não acelera! Não... não... (suspira) E eu... eu só queria te amar por mais um dia.

2 comentários:

Raquel disse...

nooooossa que lindo isso.
me emociono demais.

disse...

pô, amei! mesmo... :)