segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O Antes.


Antes da chuva parar, ela fica mais forte. Antes da lâmpada queimar, ela brilha o máximo possível. Antes do copo quebrar, ele insiste em ser absurdamente sólido. Antes do gás do forno acabar, as chamas crescem e queimam mais. Antes do fim da melodia há o silêncio para a última nota. Antes da última palavra do soneto há o sentimento condensado em versos. Antes do sentir há o estar distraído. Antes do amar há, apenas, o não amar.

Antes da vida há a ideia. Antes da ideia há o talvez. Antes do talvez há a dúvida. Antes da dúvida há a certeza. Antes da certeza há o porque. Antes do porque há o para que. Antes do para que há o motivo. Antes do motivo há a necessidade. Antes da necessidade há a falta. Antes da falta há a perda. Antes da perda há o ter. Antes do ter há o procurar. Antes do procurar há o espaço. Antes do espaço há o tudo. Antes do tudo há o nada. Antes do nada, há.

4 comentários:

Rafa Serafim disse...

Parabéns, Danilo! Muito lindo seu texto!!

Meia Lua disse...

Eu não gostei. Li forçada.






*Lindo!*

Raquel disse...

Danilo escrevendo cada coisa uma mais linda que a outra. esse blog é uma delicia de se ler.

Anitha Rosenrot disse...

Lindo!!! *-*

"Antes do sentir há o estar distraído."

Adorei!